sábado, 22 de dezembro de 2012

domingo, 16 de dezembro de 2012

Conseguiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!

Acho que hoje parei para festejar, apesar de já saber a notícia à uns dias.
E, por isso, vim cá espalhar a boa nova. E agradecer. Agradecer aqueles que me mandaram os seus pensamentos positivos e a sua força.
Foi um mês de muita burocracia, de muitos mal entendidos, de muita troca de emails, de muito sonho-desilusão-ai-que-não-vai-dar-ai-que-vai, mas agora sim, temos estágio. Numa cidade maravilhosa. E com quem quero ao meu ladinho.
E, por isso, só consigo agradecer, não sei muito bem a quem, mas quero agradecer, por o meu esforço estar a ter frutos, estar a ser compensado e me deixarem continuar a ser feliz. Mais ainda!
Agora é por mãos à obra, que vem muito trabalhinho pela frente. E eu pronta (e nervosinha) pra ele. Vamos então tentar por esta gente mais saudável e feliz.
E vamos construir uma casinha. A nossa. A primeira casinha. E tudo vai correr bem. Muiiiiiiiiiiiiito bem.

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAIIIIIII :D

sábado, 1 de dezembro de 2012

Deciembre

~
E dezembro já chegou. O tempo passa e cada vez mais rápido. E para ser sincera, eu sou um pequeno bambizinho que hoje tem pena de não estar em casa a fazer a sua árvore de natal, como é de tradição. Mas tenho um calendário de avento, ultra fofinho, que compensa e bem.
E palpita-me que este dezembro, vai ser um bom dezembro.
Bom dezembro a todos!

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Hoje descobri que os teclados dos pc's destas gentes estão em espanhol. Então encontramos pérolas como "Entrar" em substituição do "Enter". Mas a melhor para mim foi descobrir que o "Shift" é nada mais, nada menos, do que "Maiúsc", portanto, para fazer maiúsculas, está claro. Eu queria ter tirado uma foto para vos mostrar, mas como compreendem, o choque era tal que já não consegui mais. Aliás, nem me admiro que não receba comentários a este post. Eu percebo, eu própria já não sei mais o que dizer.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Emails, emails, emails

Às vezes sinto-me uma máquina de fazer emails. Tipo uma máquina de fazer pipocas. Está tudo muito sossegado e de um momento para o outro começam a saltar pipocas por todo lado. Passa-se o mesmo na minha caixa de emails. Há horas do dia em que vomito emails por todo o lado. E dado que tenho de alternar entre escrever em português, espanhol e inglês, há alturas em que o meu cérebro da um pequenino nó. Mas vai tudo valer a pena. Tem de valer. Please.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Música das limpezas

 



Es verdad #4


Acho que vou arranjar um destes para por aqui na sala desta casinha a ver se a (in)directa é compreendida. Não custa tentar.
Ai que só me apetecia que já fosse Natal.
Ou não. Não sei. Estou cansada. Muito cansada.
Mas ao mesmo tempo, cheia de vontade de começar a trabalhar a sério.
Pessoa estranha, eu sei.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Sadness

Desceu de repente uma tristeza em mim. Acho que não a sei explicar muito bem. Não é nada de novo. Nada que me tenham feito directamente. Mas estou nervosamente triste. Acho que há alturas em que nos sentimos sós no meio deste mundo. E é assim que me sinto. Estupidez, eu sei. Eu podia tentar explicar, podia tentar fazer os outros perceber, mas não o quero, para já, para já quero estar no meu cantinho e saber que não se vai prolongar muito tempo. Podia vir a argumentação de há quem esteja muito pior que nós, mas essa nunca me consolou. E, por isso, acho que hoje vou adormecer assim.
Não me apetece divagar sobre aquilo que aconteceu hoje em Portugal. Da estupidez de violência que não leva a lado nenhum. E depois perguntam-me porque não gosto da mentalidade portuguesa.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Volver

Estou de volta a terra de nuestros hermanos.
Um fim de semana curto, mas muito bom.
Segue-se um mês de muito trabalho e passeios também, pois esta cidade vai continuar a sorrir para mim.
Preciso também que neste mês questões chatas e burocráticas se resolvam para eu saber como vai ser o próximo ano. É que já só falta mesmo isso. Questões chatas. E burocráticas.
Já tenho saudades tuas.
Acho que já estou melhor nisto de despedidas e reencontros. Este bambi está a ficar mais fortezinho. 
No entanto, o meu coração hoje está mais pequenino. Mas vejo coisas grandes para ti. Vejo-te a concretizar tudo o que mereces. Vejo-te a crescer de dia para dia. E só de pensar nisso aí está o meu coração enorme outra vez. Estou a fazer de tudo, para que tudo dê certo, como desejamos.
Estou a fazer de tudo para estar contigo.
E, por cá, vou-me empenhar e trabalhar muito. Aproveitar o melhor disto, claro. Mas trabalhar também aqui. Absorver todos os conhecimentos possíveis. Para ser mais e melhor.
Não é a passagem de ano, eu sei. Mas dado que é o meu último mês aqui (depois do Natal são só exames), vou dar o meu melhor. E deixar a preguiça de lado.
Gostava de comer um iogurte daqueles que havia dantes da danone e que na tampa dissesse "Vais conseguir.". É que eu já faço muita força. Mas assim era só mais um incentivo.

domingo, 11 de novembro de 2012

So real


Depois de...

Depois de um tempo só nosso. Depois de 4 horas só mesmo nossas. Depois das brincadeiras. Depois de jogos de palavras. Depois de voltarmos a pensar e dizer as mesmas coisas, ao mesmo tempo. Depois de um óptimo jantar. Depois de uma viagem de carro, pequenina, que ainda tornamos maior. Depois de tudo isso, acho que, pelo menos hoje, já não tenho muito mais palavras minhas. Por isso, roubei estas. Mas bem que podiam ter sido escritas por mim.

The closer I get to you
The more you make me see
By giving me all you've got (tell me more)
Your love has captured me
Over and over again
I tried to tell myself that we
Could never be more than friends
But all the while, inside , I knew it was real
The way you make me feel


quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Amanhã...

... vou apanhar um autocarro com asas e vou a casa.
E, por isso, ando a fazer a malita pequenita a cantarolar e a mostrar os dentes todos.
Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaai!

terça-feira, 6 de novembro de 2012

As vossas energias positivas já estão a desencadear respostas. E eu estou a tentar e a esforçar-me muito. Acho que já só falta um bocadinho. Então, podem pedir mais um bocadinho, com mais um bocadinho de força?
Ai, que isto custa. Mas eu acredito que vá lá. 
Never give up.

Pronto, é isto. A minha solução para os problemas de dividir casa e creepy persons. Não percam os próximos episódios. 

Teorias #3

Quem inventou o conceito de partilhar casa (dividir casa com outros estudantes, pessoas, jovens, que se conhecem na altura em que começam a partilhar casa), nunca deve ter partilhado nenhuma. É que se tivesse, aposto que tinha deixado um livro de instruções para os seguintes...

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Amar ao longe


Eu fui uma das pessoas, como muitas outras, que já disse "relacionamentos à distância não é para mim". No entanto, quando o disse não estava num relacionamento. A verdade é que acho que dizer isso é força do hábito e de não pensarmos para além daquilo que a nossa cabecinha já está habituada a pensar ou a ouvir de outras cabecinhas.
Não é fácil que não é, estar assim. E não é fácil quando é dum momento para o outro que ficamos sem a nossa pessoa, a qual tinhamos quase todos os dias, para só a ver de determinado em determinado tempo. E esse choque tão grande de pensarmos que vamos ficar "sós" pode ser provavelmente o que nos leva, em primeira mão, a dizer "relacionamentos à distância não é para mim". Quando pensei em vir para aqui nunca me passou sequer pela cabeça acabar a minha relação, só porque vinha para aqui. E, ainda hoje, penso como é estúpido sequer pensar-se nisso. Respeitando todas as opiniões, eu só me pergunto, e acabar porquê? Se a relação vai bem, acabar porquê? Eu não ia sofrer menos por estar sozinha. A meu ver ia sofrer ainda mais, porque no meu caso não queria estar sozinha. Não é por ter mudado de país que mudei de coração, que mudei o sentimento. E sim, podem dizer que uma relação não se faz ao longe e blá blá. Mas a questão é que também podemos estar 24h junto a uma pessoa e não ter relação nenhuma. No meu caso, as coisas foram conversadas e de inicio tinha medo de me encher a mim própria de culpas e culpas (eu que sou um bocadinho overthinking) se as coisas começassem a não correr assim tão bem. Felizmente têm corrido. E volto a dizer, é difícil  muito difícil. Mas a solução não é acabar. O que iriamos ganhar com isso? Nada. Não há outro sítio no mundo, em termos de estado civil se me faço entender, onde quereria estar. Estou bem assim. Mesmo ao longe. Porque o sentimento é o mesmo, se não maior.
Acredito que passar pela distância e ausência nos faz mais agradecidos, nos faz dar mais valor às pequenas coisas. Nos faz reparar a falta que nos faz só ir dar um passeio de carro. Ir ao pingo-doce. Dizer boa noite, todos os dias. Contar as novidades diárias, que por vezes parece aborrecido, torna-se, à distância, uma coisa divertida e que nos une. Faz-me sentir bem sentir a falta, porque é sinal que tenho alguém. E no meu caso, alguém que sente também a minha. E isso acaba por superar tudo. E, por isso, hoje arrependo-me de já ter dito "relacionamentos à distância não é para mim", porque não pensava no significado dessa frase quando a disse. Uma relação estável e verdadeira não têm porque acabar só porque, num momento, não há um lugar físico comum. Lugar mais importante é o do coração e onde esse está. O meu está contigo. E como tal, está em casa. Exactamente onde deve estar.

domingo, 4 de novembro de 2012

Malinhas

Ando atrás duma destas malinhas para o pc há muito tempo. Vou guardar para  o pai natal. Mas já ando a fazer a minha pesquisa. Gosto muito das da Parfois. Mas também hei-de por um olhinho nas da Misako. Das da Parfois fiquei com estas para a memória.

Esta também há em azul escuro e é deliciosa. Mas a castanha é, provavelmente, uma melhor aposta, por ser mais neutra.

 Esta eles têm sempre na coleção e o interior parece-me muito prático. E acho que conseguia usar a cor, ainda que não fosse logo, logo a minha primeira escolha.



Esta azulinha é um amor. Mas nem sequer serve para o meu pc. É pequena demais para o meu troglodita com teclas. Mas olhar não custa né? E há que mostrar a beleza do mundo. Podias só ser um bocadinho maior que eras mais bonita. Snif.




Esta nem sequer é uma mala para portátil, mas pronto. Carreguei nela sem querer. Não fui eu, foi o rato do pc. 


Se houver por aí alguém que tenha desta género de malas e que use e abuse delas no dia a dia, help! Conselhos, coisas que tenho de reparar antes de comprar? Obrigadosssssssssss!

sábado, 3 de novembro de 2012

Adeus Verão

Tardou, mas acho que o Verão aqui acabou de vez. Já se sente o friozinho. Já sabe bem um lenço quentinho junto ao pescoço. Botas quentinhas. Um casaco para aconchegar. E, por isso, também quando vejo pendurados no armário calçõezinhos de ganga e topzinhos, já me faz um bocadinho de comichão. Assim, nesta casinha, pela primeira vez, vou fazer troca de roupas, e por mais à mão as roupinhas mais quentinhas. Olá Outono!

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Otros países x Portugal #2

E o Inglês deles senhores? Ai. Até dói.
Ou sou eu que conheço muito bons falantes de inglês ou então não sei. Mas acho abismal a diferença desta gente a falar inglês. Constatei duas versões:
1) Não fala Inglês e não faz qualquer esforço para o fazer.
2) Fala Inglês, mas não deve ser o mesmo que eu. É Inglol. Inglês falado com pronuncia espanhola. O que resulta que os que falam, não os percebo. Ou melhor percebo. O que me atrapalha na verdade é eu começar-me a rir e depois já não ouço nada.
Mázinha eu, eu sei.
Dá-me vontade de lhes dizer "Filhinhos, não dobrem as merdas das séries, filmes e músicas que vão ver que isso melhora!". Era bom para eles e para mim, que qualquer dia já não sei o que é sentar-me a ver e a ouvir televisão. Quando o faço cá também deixo de ouvir por me partir a rir, ou seja não vejo. Experimentem procurar no youtube as vossas séries favoritas dobradas em Espanhol. É para por qualquer um bem disposto.
Viram como não sou mázinha. Até quero o povo bem disposto e tudo. E a falar Inglês!
Vou ser mázinha outra vez. Gente que não domina o Inglês, é gente que eu passo à frente no mundo do trabalho. Tomaaaaaaaaaaaaa. Mázinha mais uma vez. Pronto, já está, parei.
Buenas noches!

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Pão nosso de cada dia
























E o que custa desligar o Skype? Aquilo devia ser automático e não ter de esperar que eu carregasse no telefonezinho vermelho. Quando o Skype pressentisse que já estava na hora de desligar, puf desligava. Pode ser senhor Skype? Poupavas muitos dilemas ao meu coração. Obrigadossss!

domingo, 28 de outubro de 2012

Domingo

Domingo é o meu dia de por a casa em ordem.
E este Domingo vai ser dedicado à minha casa estudantil. Isto de ter visitas, de ir a Portugal matar saudades dá como resultado um sorriso muito grande e um coração cheio, mas, também, um atraso nesta coisinha bonita chamada faculdade.
Dormi as minhas horinhas, um bocadinho agitada, mas dormi. Já tomei um mega pequeno-almoço, a hora mudou e, por isso, ganhei mais um horinha. Isto para dizer, mãos à obra!

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Porque não?

Já que ontem foi assim, porque não agora também?
Já voltei a mi ciudad e claro que o meu coração ficou assim pequenino e encolhidinho. Mas dado o que ele inchou nestes dias, acho que consigo disfarçar o facto de o senhor coração ter ficado nhézinho hoje. É que ele está tão contente que acho que supera isso. Foi tão bom voltar a velhas rotinhas. Foi tão bom adormecer. Foi tão bom acordar. Vou imaginar que estamos assim. Boa noite!


quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Try harder

Assusta-me um bocadinho saber que o futuro está mau para todos, mas especialmente para os jovens. Porque estou a tirar a minha licenciatura e assusta-me que aos dias de hoje já seja tão pouco. A minha vida não se resume única e simplesmente ao meu curso, à minha área de futura profissão, claro, mas é grande parte de mim. E aí é que me assusta. Puder estar a investir tanto e não ter o retorno que deveria ter. Mas se me assusta, também me inspira. Acho que mais do que nunca, nós jovens, vivemos tempos em que não nos pudemos conformar a fazer tudo o que os demais fazem ou já fizeram. Temos que primar pela diferença. Temos que procurar e exigir mais e melhor. Foi um dos motivos porque já me aventurei a sair de Portugal e se me perguntam se quero voltar? Não quero, para já. Tenho cá raízes, tenho as melhores pessoas cá, mas sei que, para já, o meu lugar não é aqui. E, por isso, quando a preguiça toca em mim tento afastá-la, porque se quero um lugar seja em que parte do globo tenho de tentar ainda mais, insistir ainda mais. Porque são tempos em que arranjar um simplezeco estágio académico (não remunerado e de curta duração) parece um monstro de sete cabeças, não há respostas, ou quando há são negativas. E aí eu penso: e então arranjar emprego? E caí uma grande desilusão em mim. Desilusão essa que me poderia muito bem por quieta, culpando a crise, o país, as batatas, as cebolas  etc. e tal. Mas não, recuso-me. Recuso-me a não tentar. Recuso-me a não procurar mais sítios, mais alternativas. Porque senão o que é que me resta e o que ando a fazer? Quero chegar a algum lado. Quero aproveitar o melhor de cada oportunidade. E, por isso, vou tentar. Com todas as minhas forças. E, assim, acredito que vou conseguir.

sábado, 20 de outubro de 2012

Dias de chuva

Por cá chove. Chuva = shopping. Shopping = desgraça.

Mas trouxe este fofinho para casa. Andava à tanto tempo à procura de um assim!



E estas meninas que já andavam debaixo do meu olho também fizeram amizade com os meus pézinhos de shrek e vieram connosco para casa...


E eu que adoro uns bons básicos, trouxe duas camisolinhas. São tão confortáveis que parece que ando nua. E baratinhas!


Agora a minha carteira fechou para obras. Tenho dito.



Um dia conto-vos um segredo.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Teorias #2

Eu acho que estar de ERASMUS é de certa forma uma preparação para a gravidez. É que isto há dias em que dá cá um desejo por certos pecadinhos. E tem-se repetido muito. E mais para os pecadinhos doces. E massa à bolonhesa.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Respostas

Estou à espera de umas respostas para saber como vai ser (e onde) 2013. E por isso, precisava de canalizar muitas, muitas, muitas energias positivas. É que basicamente são respostas que me vão permitir que em 2013 não seja este sufoco de despedidas, mas sim passado juntinha de quem quero. Assim sendo, peço a quem esteja aí do outro lado do ecrã que se junte a torcer por mim, para ter as respostas que quero. 
É que eu queria tanto. E acredito que a vontade possa realmente mover montanhas. Isso junto com a vossa forcinha, acho que vamos lá!
Juro que vos agradeço do fundo meu coraçãozinho.

domingo, 14 de outubro de 2012

É mais ou menos isto


Nosso Outubro

Foram os melhores dias. O meu medo escondido que estivéssemos diferentes foi completamente posto para canto. Se estivermos diferentes seria para melhor. Mas não, continuamos exactamente nós. Os mesmos gestos, mimos, sorrisos, piadas, gozos, interesses, completar as frases, e por aí fora. Foram dias espectaculares, em que apesar de ter parecido muito mais que 4 dias, passaram num instante. Agora, claro, estou um caco, e só queria que estivesses aqui. Mas lendo as coisas pelo lado positivo o que eu quero mesmo dizer é que amei estes dias. E daqui a uns outros dias já somos só nós outra vez.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Se eu nos próximos dias não vier cá é porque tive um ataque cardíaco. 
Juro que pareço que tenho outra vez 17 aninhos. Nervosa de todo com um bocadinho de histerismo à mistura. Quero preparar tudo e tudo bem. Nunca pensei estar assim. Mas é tão bom. Anda, anda que já estou à tua espera. Aquela tolinha aos pulinhos no aeroporto sim, sou eu!
Ai que isto vai ser tão boooooooooooooooooooooooooom.

Também aviso que nos próximos dias este blog vai ficar escorregadio de tanto mel.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Amanhã.

Amanhã tu chegas no autocarro com asas.
Amanhã vou-te buscar à casa dos autocarros com asas.
Amanhã o meu coração vai bater muito depressa (já bate muito depressa hoje).
Amanhã vamos ser só nós outra vez.

Aprender línguas grátis!

Uma maneira divertida, dinâmica, super fácil e grátis de aprender línguas novas. Ou de praticar as que já se sabe.


Como não consegui arranjar nenhum curso de espanhol compatível com horários e com a carteira, estou a aprender mais um bocadinho por aqui. E estou a adorar!


Uma beijoca a quem me mostrou esta grande ajuda :)

True.


Sou uma criancinha a espera do natal!

domingo, 7 de outubro de 2012

Sinto-me nhé.
Sinto que a minha bateria está a chegar ao fim. E como o wall.e preciso do meu Sol para a recarregar.
Amanhã vou-me levantar cedinho e laurear a pevide para espairecer.
Estou mesmo, mesmo, cheia de saudades tuas.

sábado, 6 de outubro de 2012

Wish upon a star.


Que os dias 7 continuem a ser felizes e nossos. Que os dias 7 continuem a ser felizes como todos os dias. Que todos os dias sejam dias 7. Que o tempo não importe. Nem a distância. Que todos os dias sejam os nossos dias.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Ao contrário?

Então foram hastear a bandeira ao contrário? Chega uma pessoa a casa de aulas e laurear a pevide e as más línguas que correm nas redes sociais é que nas celebrações do 5 de Outubro conseguiram a proeza de hastear a bandeira ao contrário? Ao contrário senhores?
Isso vai bonito por aí, vai.

Bom Dia! Ou não...

Ver os episódios da nova season de grey's anatomy de manhã não me está a ajudar muito. É que eu fico triste como se fosse amiga de longa data deles todos.

Dia do animal

Um dia vou ter um gatinho. Vamos. Vai-se chamar Afonso. E vai ser assim fofinho.


quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Tu estás a vir.
E depois vais ter de ir outra vez.
Mas passado uns dias vou eu aí.
Fim da história: criança feliz.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Contas

Já faltam menos de 604800 segundos.
Este ponguinho ganhou uma extreme meakeover. Sortudo do blog. Espero que continuem a gostar deste cantinho :)

“There are dreamers and there are realists in this world. You’d think the dreamers would find the dreamers and the realists would find the realists but… more often than not, the opposite is true. You see the dreamers need the realists to keep them from soaring too close to the sun. And the realists… well, without the dreamers, they might not ever get off the ground.”
Cameron, Modern Family
Ando a ver outra vez Modern Family. E esta é sem dúvida uma das coisas mais bonitas e verdadeiras que já ouvi. E é por isso que adoro esta série. É tão divertida e, ao mesmo tempo, tão real.

Novidades cá da terra

Na mesma semana (a semana passada) esteve um calor de morte, choveu, choveu forte, esteve tempestade forte. De tal maneira que me inundou a faculdade!
E não tive aulas logo no primeiro dia da semana. E lá tive eu, cheiinha de pena, de ir passear para o centro. E comer um bruto crepe de nutela. Muito incomodada que fiz isso tudo, mas fiz.
Agora está um tempo óptimo. Calorzinho, solzinho, mas habitável. Toca a ficar assim por mais uns dias faxfavorzinho!


sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Acabei de reparar que a data de validade dos iogurtes que comprei já é depois de teres ido embora, o que significa que deves estar mesmo quase, quase a chegar. 
:)


quinta-feira, 27 de setembro de 2012

terça-feira, 25 de setembro de 2012

E após um dia cansativo de aulas e, eu sei que sou repetitiva, muito, muito calor... Vou comer uma massinha de camarão e cogumelos que nem vos conto! Qualquer dia dedico-me à restauração!

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Estou oficialmente inserida na comunidade. Umas senhoras jeovás espanholas vieram ter comigo e deram-me um folheto sobre o sentido de la vida. Tive para lhes dizer que o meu sentido de la vida chega daqui a duas semanas, mas achei que elas não iam compreender. Então pus o meu melhor sorriso acompanhado de um gracias.

domingo, 23 de setembro de 2012

Sagittarius

I (am) in love with a Sagittarius, he blew my mind.

Nueva ciudad. Nueva amiga. Nueva hermana.

Lembro-me de num dos episódios de Sexo e a Cidade, a Carrie ter dito algo como Nova Iorque ser o seu date. Não chegando a tanto, acho que a entendo. E ontem no metro passou-me exactamente essa ideia pela cabeça. Não 
é fácil estar fora e sairmos do nosso casulo. Mas cheguei a conclusão que a minha nova amiga e irmã de todas as horas é mesmo esta cidade. Nunca está ocupada, nunca está de mau-humor, nunca está cinzenta (literalmente, nunca está cinzenta, está sempre quente que não se pode!). Basta sair, entrar num metro e ir à descoberta. Ver que há coisas comuns a todas as cidades. A Zara e a Kiko de cá são iguais, mas sabe sempre bem lá entrar. Descobrir toda uma rede de metro enorme e que nos leva a todo sítio (viva o passe!). Descobrir que há pessoas, que há vida. Claro que há momentos em momentos em que no meio de tanto barulho só consigo sentir silêncio, mas faço um esforço para que passe. Para pensar, e agora para onde vou? Vou tentar descobrir quais os caminhos mais perto para este sítio ou aquele, ou jogo pelo seguro e vou só ali ao shopping? E as pessoas? Oh, faz bem comunicar com as pessoas da rua! Pedir informações, ajuda, e descobre-se gente muito simpática. Há uns dias tive de me socorrer com um casal de velhinhos que foram um amor. Não sabia se estava a ir na direcção certa para uma paragem de metro e eles para garantir que eu não me perdia levaram-me até à dita estação. E pelo caminho lá fomos conversando. No fim saiu-me o meu primeiro "encantada" aqui na área. E foi bem verdadeiro. Aqui na zona onde moro também já me cumprimentam e começo a sentir-me em casa. Começo a sentir a cidade como minha. E por enquanto é a minha melhor amiga daqui. Não me desiludas!

sexta-feira, 21 de setembro de 2012


Teorias #1

Acho que descobri porque é que os salários dos espanhóis são mais altos que os dos portugueses. É que com o dinheiro que elas devem estourar em sombras de olhos...

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

"If I told you a secret
You won't tell a soul
Will you hold it and keep it alive
Cause it's burning a hole
And I can't get to sleep
And I can't live alone in this lie

So look up
Take it away
Don't look da-da-da- down the mountain

If the world isn't turning
Your heart won't return
Anyone, anything, anyhow

So take me don't leave me
Take me don't leave me
Baby, love will come through it's just waiting for you

Well I stand at the crossroads
Of highroads and lowroads
And I got a feeling it's right

If it's real what I'm feeling
There's no makebelieving
The sound of the wings of the flight of a dove

Take it away
Don't look da-da-da down the mountain
If the world isn't turning 
Your heart won't return anyone anything anyhow...

So take me don't leave me
Take me don't leave me
Baby, love will come through it's just waiting for you

So look up
Take it away
Don't look da-da-da- down

If the world isn't turning 
Your heart won't return anyone anything anyhow...

So take me don't leave me
Take me don't leave me
Baby, love will come through it's just waiting for you

Love will come through
Love will come through 
Love will come through"


Adoro-a. E já não a ouvia à tanto tempo. Faz-me, sempre, lembrar o Verão de 2008. O nosso 1º Verão. E ainda hoje é tão verdadeira. Ou melhor, Love has come through. :)

Quem avisa, amigo é


terça-feira, 18 de setembro de 2012

As tarefas domésticas são uma boa maneira de não se sentir tanto as saudades. 
Mas quando já limpamos a casa toda, já fomos ao supermercado repor tudo o que faltava, já fizemos uma máquina de roupa, já lavamos à mão o que não era da cor da máquina, já cozinhamos, já lavamos a louça, já arrumamos a cozinha, já trocamos os lençóis da cama, ..., aí o que é que resta? :(

Otros países x Portugal #1

Ora após 12 dias por aqui penso que já posso mandar o meu bitaite acerca das diferenças que já observo.
Começando pela faculdade e o ensino em geral, a diferença é astronómica! Em uma palavra: organização! Aqui porque ela existe e se em Portugal já dava pela falta dela, então agora considero-a inexistente. Aqui em todas as disciplinas antes (antes sim! antes!) de começarem as aulas já existiam fichas da disciplina (bem explicadas, objectivas e diretas) com os conteúdos programáticos, métodos de avaliação etc e tal. Também já tinhamos os horários das aulas práticas, sessões de tutorias (cujo objetivo principal é tirarmos dúvidas com os professores e ainda termos uns pontos bonús no fim por isso - u-a-u-!), e dias de apresentações de trabalhos. Já marcados, pois é, tudo preto no branco, sem margem para dúvidas. Nesta terra também temos acesso aos diapositivos, vulgo slides, antes da própria aula e, em alguns casos, resumos em texto.
Mas a maior diferença de toda e que sim revela muito da cultura é a proximidade com os professores. Aqui para chamar um professor é pelo nome próprio, do género "Ana cual es el tema de hoy?" ou "Juan tengo una duda!". Fiquei abismada e até perguntei às minhas coleguinhas espanholitas se era MESMO assim e se eu não ia parecer mal educada ou tolinha. Perguntei qual criança na pré-primária se também podia fazer como eles vá! E aí fiquei a saber que os professores nem gostam que os tratemos por usted, aqui é tudo por tu, porque segundo as modas aqui somos todos iguais. Somos todos académicos que estão no mesmo sítio de forma a puder partilhar conhecimento. Acho que aí o meu queixinho tocou o chão e ainda o varreu. 
Toma Portugal! Continua com os teus professorzinhos universitários que têm a mania que são senhores professores, mas que no fundo só estão lá a preencher um lugar. Também se nota que aqui os professores preparam as aulas, é vê-los com as folhinhas todas escritas durante a aula e no fim a confirmarem se nos falaram de tudo o que queriam falar. E atenção, sei que há bons e maus professores em todo lado e aqui certamente vou encontrar alguns que deixam muito a desejar. Mas é notória a diferença de mentalidade e o esforço que fazem para realmente ensinar os alunos e não serem apenas "professores universitários". E nota-se também que os alunos aqui sabem mais coisas pelo saber, não pelo decorar que às vezes nos é impingido por termos quilos de matéria para saber em cada cadeira. E muitas vezes a temos de saber só porque sim.
E eu sei, eu sei, que eu devia estar numa altura em que devia apoiar o país e blá blá, mas deixem-me ser egoísta, que patriota não o sei ser, só porque sim. Há que mudar a mentalidade portuguesa, a falta de planeamento, organização e preocupação com a eficiência de qualquer trabalho. Lamento se não vou ser eu a lutar, aí, para a mudar, vou ter de fazer o meu próprio caminho e aproveitar todas as (melhores) oportunidades para me fazerem crescer e ser, neste caso, melhor profissional. Porque sei que aqui estou a aprender muito mais, falando em termos académicos, do que se tivesse ficado em Portugal. Pode ser triste e duro de dizer, mas é a verdade.
Ah! E não podem dizer que eu não apoio o meu país. Hoje numa tienda, aconselhei a senhora da loja a fazer férias em Portugal porque estava tudo mais barato por causa da crise e ela ficou toda entusiasmada! Ah pois é.

P.S. O título deste post tem um "#1" porque palpita-me que ainda vou dar continuação a isto. Mas por hoje, já chega de descasca.

Ohhh!


sábado, 15 de setembro de 2012


E as saudades que eu tenho do meu putinho.

E como é que foi isto?


Espero que tenha ido tudo pra rua. Tal como fazem aqui os meus nuevos hermanos. Contem-me!

Cucarachas!

E o que não queremos que nos apareça na primeira vez que moramos sozinhos? Baratas. Ai pois é. Grandes, gordas e castanhas. Ai mãe que eu não sei como não caí pró lado!
Mas so far, so good. Para já muitos produtos na cocina e tudo o que é possível veículo de entrada de bichezas tapado com fita cola. Ide assustar criancinhas indefesas para outro lado, ide!

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Sinais

Não acredito num Deus ou em algo superior a nós como as mais variadas religiões o dizem. Mas, há alturas em que me parecem que são enviados sinais. Ou o são, ou a minha capacidade imaginativa e interpretativa o fazem ser. Mas enquanto tomava banho, à pouquinho (que nesta terra é banho de manhã e à noite, dado que estão agora 28º!), me pus a pensar no que tinha acontecido hoje, um pequeno pormenor, o que me fez acalmar e pensar: vai ficar tudo bem. Vai correr tudo bem. Não posso adiantar, nem explicar com mais detalhe e corro o risco de este post parecer ter sido escrito por alguém como umas alucinações valentes enquanto toma banho, MAS não quero estragar um presentinho. E como já suspeito que este blogue ande a ser cheirado (sei que estas aí), não posso adiantar muito mais. As minhas surpresas ainda estão a ser cozinhadinhas, se é que me faço entender. No entanto, seja lá porque tenha acontecido, seja lá porque me tenha lembrado de ter interpretado assim, seja lá o que for, e não sabendo muito bem a quem me dirijo, obrigado. Obrigado. Obrigado. Porque me estou a sentir mesmo bem, calma e tranquila. Tudo vai correr bem.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Hola España!

Já cá estou sozinha à dois dias. E gosto da minha casinha, o que já é um ponto a favor. E gosto muito da zona onde vivo e da vida toda que esta cidade tem. Já me sinto uma dona de casa, arrumo, cozinho, limpo, faço as compras, paro nas frutarias, analiso preços e guardo os talões todos para apontar as despesas do mês. E entre estas coisas todas penso em ti. E agora estou a pensar em ti. E a pensar no quanto te vou agarrar quando te vir. Eu até diria que vou ser perigosa, vais ficar sem ar.
Quanto a mim, está tanto calor nesta terra, que se este blogue ficar sem posts nos próximos dias, não é preguiça, é porque derreti!

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Hora de partir

Nunca pensei ficar assim. Sei que sou de lágrima fácil. Sei que as saudades me assustam. Mas não sabia que poderia ficar assim. É uma angustia muito grande. Que passa, mas imediatamente volta. É um sentimento de não ter controlo sobre mim própria. É mau, muito mau. Tão mau que me chego a rir disso. E depois acho que estou louca.
Mas paro e penso: se estou assim por alguma razão é. Se me custa partir é porque gosto do meu sítio também. Porque gosto do sitio que cresci e das minhas pessoas.
A minha pessoa especial custou muito despedir. Custou tanto que doeu e não havia maneira de parar a tortura. Mas queria sempre olhar mais uma vez, beijar mais uma vez, abraçar. E vou guardar o nosso último momento para me lembrar a cada segundo. Talvez não a partir de agora senão a fonte dos meus olhinhos abre outra vez.
Obrigado pelo teu apoio incondicional. O bom de ir é voltar. Ainda que me tenhas dito que o bom de ir é ir viver. E assim o farei. Prometo. Por mim e por ti.
Por isso, aqui vou eu. E sim, já estou a riscar os dias no calendário para a próxima vez que te possa ter ao meu ladinho, sem nenhuma moléculazinha a separar-nos. 

4 anos


"O amor, quando se revela, não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela, mas não lhe sabe falar.
Quem quer dizer o que sente não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente. Cala: parece esquecer
Ah, mas se ela adivinhasse, se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse pr'a saber que a estão a amar!
Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!
Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar..."
Fernando Pessoa 

Obrigada. Por seres Tu. Por tudo o que fazes por mim.
Parabéns a nós.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

To us


Eu acho que isto era um muito bom "evitador" de discussões caseiras. Às vezes acho que há uma parte de mim que podia ser conselheira matrimonial ou moderadora de conflitos. Ou não. Mas lá que isto é uma ideia muito engraçada é.


domingo, 2 de setembro de 2012

Coméque?

Todos os anos é a mesma coisa.
Como é que as férias passam TÃO depressa?
Ainda não chegaram bem bem ao fim, eu sei. Mas como é que passam tão depressa? Coméque?

ponguinho só com um "i"

Eliminei um "o" e um "i" do endereço deste blogue. Assim, ficamos apenas com "ponguinho.blogspot.pt". É mais simples. E não tem aqueles dois "i's" que me faziam comichão na ponta do nariz. Eu conto um segredo: o primeiro blog que criei era oponguinho.blogspot.pt, só com um "i", mas na altura amendrontei-me de começar a escrever neste mundo e, então, apaguei e cancelei tudo num reboliço. De tal forma, que nunca consegui recuperar esse endereço. Depois, tive de me virar e criar outro ponguinho com dois "i's", mas nunca gostei. Hoje saiu-me a solução de tirar o "o" e o "i". E pronto, mais descansadinha. O blogue e a sua dona um quê de obsessiva-compulsiva, continuam os mesmos.
E prometem escrever mais, que isto sabe bem e tem andado muito paradito.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Para ti

Após uma semana fantástica, deixo que as palavras de outros sejam as minhas...


segunda-feira, 20 de agosto de 2012

E Setembro a chegar...

Em Setembro embarco numa nova aventura. Tal como muitos outros estudantes, decidi fazer erasmus. Vou para terras de nuestros hermanos estudar durante uns tempos. Tenho estado, claro, a aproveitar o meu verãozinho pelas minhas terras portuguesas, de modo a que não tenho pensado muito nisso. Já está tudo encaminhado, contratos assinados, o cantinho para habitar escolhido e alugado. A vontade de sair de Portugal é imensa, assim como, a vontade de sair da casinha dos papás e ter o meu próprio espaço, mesmo que seja apenas um quartinho num apartamento partilhado. No entanto, gostaria de iniciar esta aventura contigo. Gostaria que estivesses comigo. Gostava de pensar não no meu quarto, mas no nosso. Não no que eu preciso de levar, mas no que nós precisamos de levar. Não como vou tornar aquele quartinho mais o meu lar, mas sim, o nosso lar. Estou habituada a planear tudo contigo. E não é só uma questão de hábito, é um gosto, é um prazer, é o que me dá alegria. E, por isso, é-me estranho planear toda esta mudança sem ser contigo. Claro que te consulto, te ouço, te peço para participares comigo em todos os detalhes referentes a esta mudança, mas sabe-me a pouco. Queria pegar em ti e levar-te comigo. Queria partir para esta aventura contigo, porque é o que mais desejo, partir daqui contigo. No entanto, tento pensar no bom que vou adquirir para nós desta experiência, pois a nível individual, quer social, quer profissional é sabido que terá muitas vantagens, de outra forma, deixava-me ficar em casa sossegadinha. Quanto aquilo que possa adquirir para nós, costumo pensar que é um treino, um treino para que quando formos nós, eu já me saiba orientar, e, também, ensinar-te a ti. Aquilo que aprender não será só para mim, mas, também, para nós. O partir, entrar numa casa desconhecida, fazer dessa casa o nosso cantinho, serão coisas que depois faremos só nós. O que levar disto servirá, no fim das contas, para nós e isso reconforta-me, e muito. Depois penso também nas saudades. Naquelas saudades que me vão matar, consumir, afligir, doer, porque vão e eu sei que vão. Mas também sei que essas saudades só me vão fazer ver, ainda mais, o quanto gosto de ti, o quanto estou realmente destinada a ti. E, acredito, que essas saudades nos vão ensinar que, realmente, ainda temos um longo caminho, só nosso, pela frente. Tenho medo que seja difícil, que doía muito, tanto, que nos magoe e não nos deixe ver a big picture. A big picture que saudade que custa assim tanto, só pode significar vontade, ainda maior, de estarmos lado a lado. Acredito que vamos conseguir. Acredito que estás feliz por mim, por ir embarcar nesta aventura. Acredito que me vais, sempre, sempre apoiar. E, mais importante, acredito que nos momentos piores, vamos conseguir ver a big picture, vamos apoiar-nos e vamos ultrapassar. E como eu costumo dizer, o lado bom da saudade é matá-la e os nuestros hermanos ficam ali a uns passinhos. Um dia vou ser eu e tu. Tu e eu. Tu. A ti, obrigada. Por tudo. A saudade já aperta e ainda aqui estou. Caraças, gosto mesmo, mesmo, mesmo, muito de ti.
"And I promise to come back to you. Even though I must fly to find my wings."



domingo, 19 de agosto de 2012

Há dias em que acordo e, mesmo não estando tu aqui, sinto o teu cheirinho morno de acordar. 

sábado, 18 de agosto de 2012


Avistado na Primark. Não é a coisa mais fofinha?

"Some say fate is beyond our command, but I know better. Our destiny is within us. You just have to be brave enough to see it."
Princess Merida, Brave.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Midnight movie

Vou-me despachar para sair de casa e chegar a tempo. Cineminha contigo tão booooommmm.
Oupas, aí vou eu. E vai ser este:



Sim, vai ser mesmo este. Gosto de disney. E bonecos. A qualquer idade.

Sou só eu?



Quanto a vocês não sei, mas eu acho que estas duas davam um casal fantástico. Para quem não conhece são as duas personagens principais da série Rizzoli&Isles, que já passa em Portugal. Maura Isles e Jane Rizzoli seriam um casal fantástico, se chegassem a ser, realmente, um casal. Tão fantástico que até mudava a opinião (e aversão) de muitas mentes trogloditas por aí. Eram mesmo um casal fantástico. Pode ser que um dia a autora da série também se aperceba e torne real. Mas mesmo que isso não aconteça, para mim, estas duas já são casadas, felizes, e com 6 filhos criados. Tenho dito.

domingo, 29 de julho de 2012

Wish

Um dia crio um mundo só meu. Um mundo em que as coisas ditas realmente importem. Um mundo em que pequenas, pequeninas e mesquinhas coisas que dizemos a toda a hora, afinal, não valham nada. Um mundo em que não vos ligue. Um mundo em que as relações humanas sejam isso mesmo: humanas. Um mundo em que as estúpidas normas sociais e coisas "que são as coisas que se dizem" se deixem de se dizer. Um mundo em que aproveitemos, sem medos, tudo o que de melhor podemos tirar das pessoas e não apenas aquilo que é "suposto". Um mundo que nunca poderá existir. Eu sei. Mas se eu pensar nesse mundo todos os dias e me fizer sorrir um bocadinho, não dói. Não magoo ninguém, não ofendo ninguém. Por isso, vou continuar a imaginar esse mundo. E vou imaginá-lo, cada vez mais, nos momentos em que o mundo actual se mostra tão distante do mundo só meu. 

terça-feira, 17 de julho de 2012

quarta-feira, 11 de julho de 2012

2 Questões

1 - Num parque de campismo porque raio é que alguém decide montar a barraca exactamente ao lado dum sítio onde já está uma tenda? Note-se que o parque não está cheio. Ora que chegamos da praia e tinhamos uma tenda coladinha à nossa. Isto leva-me a pensar que das duas uma, ou se estão a marimbar para a sua própria privacidade (e a dos outros), ou não têm medo das pessoas que possam estar na tenda ao lado, visto que não observaram as pessoas que lá estavam antes de montar e, assim, poderiam levar com berros de criancinhas, um casal de resmunguice, um casal que cada palavra, cada berro, ou pinocada até não mais. Mas pronto, há gente que deve gostar de arriscar. E campismo é comunidade e é. Mas bem que eu estava melhorzinha sem ter uns caezinhos de guarda.


2 - Porque raio é que um miúdo que anda com a namorada ao lado cola em nós? Mesmo estando ao lado dela? Mesmo sendo descarado e inconveniente? Chiça que não há pachorra! Desconfio que se descobre qual é a minha tenda, que amanhã de manhã acordo e, ao sair da tenda, está lá ele sentadinho a mirar. E a namorada ao lado, claro.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Não fiquei fã. Não alterou muito, para não dizer nada. Se alguém precisar de se rir um bocado, até tem a sua utilidade. Mas se está à espera de desaparecer "pontos negros e impurezas" não me parece. Ou, então, é a minha pele de lagarto que não adere a nada.
Mas não faz mal. Amanhã são férias. Exactamente. Essas mesmo. Essas fofinhas que são as férias. F-É-R-I-A-S. Ui, cá bom!
Estou, neste momento, a experimentar isto:



E acho que isto não vai colar nada porque me parto a rir de cada vez que olho para a minha cara com estes autocolantes todos.
Mas eu gostava que, mesmo assim, um ou dois pontos negros fossem desta para melhor. Gostava, gostava.

domingo, 8 de julho de 2012

Estou com preguiça de fazer a minha mala. Não gosto de ter de escolher. E também não gosto de estar limitada de espaço. O problema é que comecei por arrumar, em primeiro lugar, sacas da comida, sacas de louça, sacas de limpezas, tenda, colchão, e afins. Ou seja, agora olho para o que já se juntou disso e já tenho medo. E, assim, sei que tenho de cumprir o meu saquinho de roupa apenas. Sendo que vai outro com sapatos. E outro com cosméticos. E outro com as coisas da praia. Mas sendo tudo por partes já não parece que levo muito. Pois não?
E se levar? Estou tão contente de ir laurear a pevide, que desde que amanhã caiba tudo no popó e ainda sobre espaço para nós, estou bem. Muito bem. Óptima. Fééééééériaaaaas!

Hoje, packing with love.